PROBLEMAS COMUNS NA COLUNA

MALFORMAÇÕES

ESCOLIOSE, CIFOSE E LORDOSE: é quando existe uma curva acentuada na coluna, com desvios fora do padrão fisiológico. Pode ser necessário o uso de coletes ou cirurgia, conforme o grau de deformidade.

 

TORCICOLO CONGÊNITO: embora não cause dor, o bebê pode apresentar uma leve diminuição do movimento do pescoço e, em casos mais graves, a ausência do movimento. O diagnóstico é clínico, pela detecção de uma leve massa palpável no músculo do pescoço. O tratamento precoce evita complicações como assimetrias faciais, deformidades na calota craniana e alterações visuais.

 

LESÕES
Não é necessário "conviver com a dor". Não cuidar dos problemas na coluna pode, eventualmente, complicar o quadro clínico. Muitos problemas na coluna podem ser resolvidos com tratamento conservador e multidisciplinar, com exercícios, fisioterapia e uso de medicamentos. Também existem procedimentos intervencionistas para alívio da dor, com aplicação de medicamentos guiada por exames de raio X ou tomografia. Quando necessária, a cirurgia da coluna é minimamente invasiva, utilizando técnicas que não agridem a musculatura e ligamentos, com incisões extremamente pequenas e rápida recuperação.

HÉRNIA DE DISCO: os discos intervertebrais tem a função de evitar o contato entre as vértebras e permitir sua mobilidade. A hérnia de disco ocorre quando parte de um disco se desloca de sua posição normal e comprime os nervos presentes em torno da medula espinhal, causando dor. 

 

LOMBALGIA: é a famosa “dor nas costas”, problema comum que afeta ou afetará 80% da população mundial em alguma fase da vida. As causas são diversas. Através da história do paciente e do exame clínico, o médico especialista pode identificar a origem do problema e indicar o tratamento.

 

FRATURAS

SEGUIMENTO EM CONSULTÓRIO: após um primeiro atendimento de emergência, em que pode ser feito tratamento conservador ou cirúrgico da fratura, o seguimento posterior em consultório é essencial para análise da consolidação óssea, indicação da fisioterapia e evitar ou corrigir complicações.

CORREÇÃO DE SEQUELAS DE FRATURA: as sequelas mais frequentes são a consolidação viciosa (o osso cicatriza em posição incorreta), pseudoartrose (a consolidação da fratura não acontece com o tempo) e infecções. As sequelas geralmente exigem correção cirúrgica.