PROBLEMAS COMUNS NA MÃO E PUNHO

LESÕES

Lesões nas mãos, punhos e pulsos podem ocorrer ao longo da vida, provocando dores e dificuldades de movimento, o que prejudica significativamente a qualidade de vida das pessoas.

SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO: a compressão do nervo que controla movimentos do polegar e do 2º e 3º dedos provoca a sensação de formigamento,  dor e fraqueza na mão e dedos. O tratamento depende da gravidade e do tempo do quadro e pode envolver o uso de talas, medicação, fisioterapia e, se necessário, cirurgia.

DEDO EM GATILHO: um nódulo no tendão e/ou uma limitação na bainha bloqueiam sua extensão completa.

 

TENDINITE: é uma inflamação nos tendões do punha e das mãos causada por uso excessivo e repetitivo, provocando inchaço, formigamentos e dor, mesmo com pequenos movimentos. O tratamento pode envolver uso de compressas de gelo, medicação e fisioterapia. A cirurgia é mais rara, somente em casos refratários.

 

CISTOS SINOVIAIS: são nódulos firmes e cheios de fluído da articulação que surgem de forma repentina, aumentam de tamanho ao longo do tempo e podem provocar dor. O tratamento pode ser clínico ou envolver aspiração local e, se preciso, cirurgia. Podem também regredir espontaneamente.

 

LUXAÇÃO: é o deslocamento de segmentos ósseos articulares, normalmente acompanhado de lesões em ligamentos, decorrente de trauma ou movimento forte e rápido. Causa dor intensa que impossibilita a movimentação. O tratamento pode envolver manobras manuais para reposicionar a articulação, imobilização e posterior fisioterapia. Em alguns casos, a cirurgia é necessária, tanto para reposicionar a articulação quanto para tratar lesões associadas. 

MALFORMAÇÕES

 

Alguns bebês nascem com malformações nas mãos que, muitas vezes, são identificadas ainda durante a gravidez. Para não atrasar o pleno desenvolvimento funcional da criança, o acompanhamento médico deve ser iniciado precocemente.

 

POLEGAR EM GATILHO CONGÊNITO: um nódulo no tendão e/ou uma limitação na bainha bloqueiam sua extensão completa. Pode acontecer a resolução espontânea, porém, após um ano de idade, deve-se pensar em tratamento cirúrgico para não prejudicar a função da mão.

 

DEDOS EXTRANUMERÁRIOS (POLIDACTILIA): o bebê nasce com mais de cinco dedos nas mãos. O dedo extra pode ser formado apenas por pele e tecidos moles ou ser completamente formado, com pele, ossos e articulações.

 

DEDOS UNIDOS (SINDACTILIA): o bebê nasce com dedos adjacentes unidos. A fusão pode ocorrer somente pela pele ou pelas estruturas mais profundas.

Nos dois últimos casos, o tratamento é cirúrgico e depende da complexidade da anatomia da deformidade.

PARALISIA OBSTÉTRICA: uma lesão nos nervos responsáveis pelo movimento e sensibilidade dos membros superiores - resultante de manobras na hora do parto que tracionam a coluna cervical do bebê - provoca dor, fraqueza e imobilidade em diferentes graus. A maioria dos casos é transitória, porém, deve-se ter acompanhamento médico próximo, para decidir a hora certa de intervir.

FRATURAS

SEGUIMENTO EM CONSULTÓRIO: após um primeiro atendimento de emergência, em que pode ser feito tratamento conservador ou cirúrgico da fratura, o seguimento posterior em consultório é essencial para análise da consolidação óssea, indicação da fisioterapia e evitar ou corrigir complicações.

CORREÇÃO DE SEQUELAS DE FRATURAS: as sequelas mais frequentes são a consolidação viciosa (o osso cicatriza em posição incorreta), pseudoartrose (a consolidação da fratura não acontece com o tempo) e infecções. As sequelas geralmente exigem correção cirúrgica.