SOBRE OSTEOPOROSE

A Osteoporose atinge tanto homens quanto mulheres; no entanto, ela se manifesta, principalmente, em mulheres após a menopausa, devido à queda na produção do estrógeno, hormônio feminino fundamental para manter a densidade do osso.

Existem outros fatores de risco:

  • hereditariedade (antecedentes familiares da doença)

  • alimentação pobre em cálcio e vitamina D (essenciais na formação óssea e na prevenção dessa condição)

  • tabagismo e álcool

  • algumas doenças reumatológicas, endócrinas e hepáticas

  • algumas medicações, como os corticóides, em tratamentos de longa duração, que podem ocasionar a redução da massa óssea

PREVENÇÃO DE FRATURAS

O diagnóstico pode ser realizado através da densitometria óssea, um exame não invasivo e indolor que mede a massa óssea na coluna e no fêmur e permite avaliar a presença e o estágio da doença.

Como é uma doença silenciosa, a osteoporose costuma apresentar sinais somente em sua fase mais avançada. Quando acontece a fratura, já estamos diante de uma osteoporose grave. No mundo, ocorre uma nova fratura por osteoporose a cada três segundos, com índice de re-fratura de 20% dentro de um ano, após a primeira lesão.

Por isso, a prevenção é um aspecto tão importante. O tratamento preventivo engloba, principalmente, os seguintes fatores:

 

PRÁTICA DE ATIVIDADES FÍSICAS: são indicados exercícios suaves como alongamento e caminhadas, e de resistência como a musculação, aumentando a flexibilidade, amplitude de movimentos, fortalecimento da estrutura muscular e do equilíbrio ara prevenção de quedas e ganho de massa óssea.

 

DIETA ADEQUADA DESDE A INFÂNCIA: deve ser rica em cálcio, presente no leite e derivados, e em vitamina D, obtida em alimentos como peixes e ovos. A exposição solar de 15 minutos por dia também ajuda no aumento da vitamina D no nosso organismo. É recomendado não abusar do café, sal, quantidade excessiva de fibras (pois diminuem o aproveitamento do cálcio) e refrigerantes do tipo cola (o ácido fosfórico danifica a formação óssea). Evitar vícios prejudicais à saúde. 

PREVENÇÃO DE QUEDAS: quedas podem resultar em lesões graves e que comprometem a qualidade de vida de quem sofre da doença. Recomenda-se:

não deixar fios e objetos espalhados pelo chão e tapetes soltos

evitar calçados de salto e com solado liso (usar preferencialmente solado antiderrapante)

  • redobrar a atenção em locais mal iluminados e com chão molhado

  • colocar barras de segurança no banheiro

  • ao acordar, esperar alguns minutos antes de levantar, principalmente se estiver utilizando algum medicamento que provoque tontura.