Sequelas de fraturas: quais são e como corrigir

Fraturas são eventos muito comuns de acontecer. Esta perda da integridade óssea pode ocorrer por acidentes domésticos (como quedas), acidentes de trânsito ou outros tipos de trauma. Também pode ocorre por consequência de doenças como tumores ou osteoporose (que provoca diminuição progressiva de massa óssea, principalmente entre mulheres após a menopausa e idosos). Esforço excessivo pode provocar fraturas por estresse, o que acontece com mais frequência entre esportistas.

Imediatamente após ocorrer uma fratura, as pessoas devem procurar um atendimento médico de emergência para tomar as providências necessárias para o tratamento. No hospital ou em uma clínica de fraturas, conforme o quadro, a equipe responsável pode fazer o tratamento conservador (com alinhamento dos fragmentos da fratura e imobilização na posição anatômica correta, com colocação de talas ou gesso) ou encaminhar para o tratamento cirúrgico (com colocação de hastes, placas, fios metálicos e fixadores externos, reconstrução de tecidos e articulações, entre outros procedimentos mais complexos).

Sequelas: complicações de fraturas

Após o tratamento, grande parte das fraturas é curada sem deixar sequelas: com o tempo, os ossos se consolidam corretamente, recuperando sua integridade. Porém, em alguns processos de reparação óssea, sua forma ou função não são restabelecidas por completo. Isso acontece com mais frequência quando há complicações associadas à fratura, ou como consequência de uma imobilização deficiente ou removida demasiadamente cedo.

As sequelas de fraturas mais comuns são:

  • Consolidação viciosa: o osso cicatriza em uma posição anatômica incorreta, que pode ter implicação apenas estética ou até provocar a limitação ou perda da função do membro afetado. Crianças tem maior capacidade de recuperar a anatomia normal após a consolidação viciosa de uma fratura, devido ao rápido metabolismo e remodelação óssea.

  • Pseudoartrose: a consolidação da fratura não acontece com o tempo. A interrupção da formação de calo ósseo entre os fragmentos da fratura pode ser verificada por exame clínico e por exames radiológicos.

  • Infecção óssea (osteomielite): geralmente ocorre em casos de fraturas expostas e em pacientes com imunidade comprometida por doenças, como a diabetes. O tratamento envolve procedimentos cirúrgicos e uso de antibióticos.

As sequelas de fraturas, conforme sua gravidade, exigem atenção médica imediata para evitar que ocorram maiores complicações, com impacto significativo e direto no quadro de saúde das pessoas. Geralmente, a correção de sequelas é feita através de cirurgias.

Na Ortopedia Durigan, contamos com médicos especialistas em Trauma muito experientes, que podem realizar o diagnóstico e indicar a melhor estratégia para a correção de sequelas.

Cuidar faz parte do tratamento.

Dr. Jorge Durigan

CRM 121.245 TEOT 11.585

Especialista em Cirurgia do Trauma Ortopédico, Reconstrução e Regeneração óssea

Assistente do Grupo de Trauma Ortopédico da Santa Casa de São Paulo

Membro da Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico

Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia

Formado pela Faculdade de Medicina de Marília

Lucas Moysés Pedro

CRM 141.053 TEOT 14.321

Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia

MBA em Administração Hospitalar pela Faculdade Getúlio Vargas - SP​

Formado pela Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo

Agende uma consulta.

Leia também:

Busca por assunto
Busca por tema