Lesões no ombro e cotovelo: como prevenir e cuidar

O ombro e o cotovelo são complexos articulares, cada um formado por 3 ossos, músculos e ligamentos, que tem como função posicionar as nossas mãos no espaço.

Os 3 ossos do ombro são escápula, clavícula e úmero, que permitem grande amplitude de movimento. Os 3 ossos do cotovelo são úmero, rádio e ulna, que permitem os movimentos de rotação, flexão e extensão do braço.

Qualquer desequilíbrio nesta região, leve ou grave, pode alterar sua biomecânica, causando dor, perda de força e dificuldade de movimentação.

Fatores de risco:

É comum que ocorram traumas e lesões nos ombros e cotovelos durante a prática de atividades esportivas e recreativas, devido à sobrecarga, movimentos repetitivos e a impactos, principalmente em nadadores, tenistas, jogadores de vôlei, praticantes de musculação e de ginástica localizada.

Certas atividades profissionais, como trabalhos de construção, pintura e carpintaria, e atividades cotidianas, como estender roupas em varais altos, pegar objetos em armários altos ou no banco de trás do carro, que obrigam um movimento de alavanca, podem lesionar a região.

O envelhecimento também ocasiona problemas nos ombros e cotovelos, por perda de elasticidade, artrite e outras doenças degenerativas.

Lesões mais comuns nos ombros e cotovelos:

  • Tendinites: são causadas por um processo inflamatório do tendão, uma estrutura fibrosa que une o músculo ao osso, responsável pela mobilidade da articulação.

  • No ombro, a mais comum é a Tendinite do manguito rotador, que provoca dor, inchaço e rigidez no ombro, no braço e/ou na coluna cervical, podendo ser incapacitante. O quadro mais grave é quando ocorre a ruptura do tendão.

  • No cotovelo, a mais comum é a Epicondilite lateral (também conhecida como ‘Cotovelo de tenista’), que provoca dor aguda e intensa, dificultando os movimentos de extensão do punho e dedos.

  • Luxações: são causadas pelo deslocamento da articulação que existe entre dois ossos.

  • No ombro, ocorre entre o úmero e a escápula, causando dor severa, deformidade do membro e sensação de paralisia do braço. Músculos e ligamentos fracos nessa região facilitam a ocorrência de luxações.

  • No cotovelo, normalmente são provocadas por traumas, sendo mais comum quando a pessoa sofre uma queda com o cotovelo esticado e apoiado no chão.

Como é feito o diagnóstico:

O diagnóstico é feito a partir de exames clínicos realizados pelo médico especialista, que ouvirá o histórico e as queixas do paciente. Exames de imagem como raio-X, ultrassom ou ressonância magnética podem ser solicitados, para verificar se há inflamação e possível ruptura.

Como é feito o tratamento:

O tratamento conservador é feito com uso de compressas quentes ou frias, medicamentos e fisioterapia. Dependendo da gravidade da lesão, pode ser recomendado o tratamento cirúrgico.

Prevenção:

Com auxílio e recomendação de um profissional da saúde, exercícios específicos de fortalecimento dos músculos da região podem ser fundamentais para melhor estabilizar e prevenir futuros problemas na articulação.

Na Ortopedia Durigan, o ortopedista especialista em Ombro e Cotovelo poderá fazer o diagnóstico preciso e indicar o melhor tratamento para o seu caso.

Cuidar faz parte do tratamento.

Dr. Vitor Schneider Chadud

CRM 140.105 TEOT 13.476

Especialista em Cirurgia de Ombro e Cotovelo

Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia

Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Ombro e Cotovelo

Formado pela Universidade de Mogi das Cruzes - SP

Agende uma consulta

Leia também:

Busca por assunto
Busca por tema