Os avanços da cirurgia de joanete

O joanete (hálux valgo) é a alteração óssea mais comum em pé adulto. Caracteriza-se pelo desvio lateral da articulação do primeiro metatarso (osso do dedão) em direção aos dedos menores, causando uma saliência na lateral do pé. Isso pode provocar muita dor e desconforto, além de alterações biomecânicas decorrentes da deformidade. Além disso, a pele pode apresentar vermelhidão e sensibilidade, pelo atrito com o calçado.

A causa do joanete pode ser genética (60% das pessoas com joanetes têm histórico familiar da doença) ou mecânica, devido ao uso de sapatos inadequados, principalmente os de salto alto e bico fino - por isso, é um problema muito mais comum entre as mulheres.

Na fase inicial da doença, a utilização de calçados adequados ao perfil do pé, uso de palmilhas de acomodação, proteção de malha para redução do atrito com o calçado, uso de separadores de dedos durante a noite e o tratamento fisioterapêutico especializado, são algumas medidas atenuantes que podem aliviar a dor, mas não resolvem o problema.

Para corrigir a deformidade, realinhando o dedo e removendo o calo ósseo, é necessária a intervenção cirúrgica.

A cirurgia de joanete evoluiu muito nos últimos anos. Houve avanço das técnicas cirúrgicas, dos instrumentais, melhor entendimento da doença e qualificação técnica dos cirurgiões de pé, permitindo uma melhora significativa dos resultados.

Há alguns anos, quem operava o joanete reclamava de dor intensa no pós-operatório e precisava usar gesso, ficando impossibilitado de colocar o pé no chão por um longo período. Hoje, existem diferentes técnicas cirúrgicas para tratar o problema, dependendo do perfil e características anatômicas do paciente, grau de deformidade, presença ou não de artrose (desgaste na articulação), entre outros fatores.

A cirurgia moderna é feita com anestesia local e sedação. Dispensa o uso de gesso e libera o paciente para apoiar o calcâneo no dia seguinte à cirurgia, podendo caminhar para realizar o indispensável, como comer, ir ao banheiro e tomar banho. É bastante seguro operar os dois pés ao mesmo tempo em pacientes com joanete bilateral. A queixa de dor é mínima, pois a anestesia utilizada, além de minimizar as complicações, promove uma analgesia muito mais prolongada no período pós-operatório.

As chances de sucesso na cirurgia de joanete sem quadro reincidente são muito grandes, desde que ela seja corretamente indicada e que as recomendações médicas sejam estritamente seguidas, principalmente no que se refere ao uso de calçados.

Se você tem dúvidas sobre a cirurgia de joanete, marque uma consulta com o cirurgião especialista em pé da Ortopedia Durigan. Ele poderá indicar o melhor tratamento para seu caso.

Cuidar faz parte do tratamento.

Dr. Gabriel Ferraz

CRM 151.687 TEOT 14.542

Especialista em Cirurgia do Pé e Tornozelo

Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia

Mestrando em Ciências da Saúde pelo Hospital do Servidor Público do Estado de São Paulo

Residência em Ortopedia e Traumatologia pela Santa Casa de São Paulo

Formado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Fundação do ABC

Agende uma consulta.

Tags:

Leia também:

Busca por assunto
Busca por tema