O que fazer por toda a vida para ter ossos fortes na velhice

Os ossos, além de sustentar nosso corpo, são a fonte de cálcio para a execução de diversas funções, como os batimentos cardíacos e a força muscular. Apenas 1% do cálcio que precisamos está circulando livremente no organismo; os outros 99% estão depositados nos ossos.


Ossos são estruturas vivas que estão sendo sempre renovadas, em um processo diário de formação e reabsorção, durante a vida inteira. Cerca de 90% da estrutura óssea é formada até os 20 anos de idade. Dos 35 aos 45 anos, a relação entre a formação de tecido ósseo e a reabsorção de tecido ósseo está em equilíbrio, mantendo a massa óssea estável. Porém, a partir dos 45 anos, a velocidade de reabsorção é maior do que a de recomposição, e dá-se início à osteopenia, um quadro fisiológico natural de perda óssea, de cerca de 0,5% ao ano, mais acelerada entre as mulheres na menopausa. A evolução deste quadro é a osteoporose.




Por isso, acumular cálcio nos ossos ao longo da infância e adolescência é uma das formas de prevenção da osteoporose.


O primeiro passo é ter uma alimentação rica em cálcio desde a infância, o que aumenta o pico de massa óssea, possibilitando um armazenamento para a vida adulta. Leites e derivados tem papel fundamental, bem como frutas, verduras e legumes, e não devem perder lugar para refrigerantes e produtos industrializados. De acordo com os valores recomendados pela Food and Nutrition Board (Institute of Medicine, National Academy Press, 1997) o consumo diário de cálcio deve ser:


Idade Cálcio (mg)

3-8 800

9-17 1300

18-50 1000

51-70 1200

> 70 1200


Outro ponto importante é a presença de níveis adequados de vitamina D no sangue, que afeta diretamente a mineralização óssea, a força muscular e o equilíbrio, prevenindo fraturas. Os raios solares são a principal fonte que sintetiza esta vitamina no nosso organismo, por isso é necessária uma exposição diária ao sol por 15 a 20 minutos, sem a utilização dos bloqueadores solares. O organismo não acumula os efeitos dos raios solares, ou seja, a exposição deve ser regular.


E qual a importância das atividades físicas?


Os ossos são sensíveis às demandas que agem sobre ele, alterando sua arquitetura interna. Eles precisam de estresses mecânicos e estímulos diários de força de compressão para crescerem, se fortalecerem e manter-se saudáveis. Quando nos exercitamos de forma regular e em atividades de impacto, os ossos interpretam a contração muscular e a descarga de peso do corpo como um estímulo à formação. Se isso é feito desde a infância, ajuda a formar um bom pico de massa óssea. Na fase adulta, ajuda na prevenção de perda.


Por isso, mudar hábitos e adotar um estilo de vida saudável, se alimentando bem e realizando atividades físicas adequadas a cada faixa etária, é um investimento para o futuro. Procure nossos especialistas voltados à prevenção de fraturas, para conversar sobre o melhor método. A prevenção é um importante foco do nosso trabalho.

Cuidar faz parte do tratamento.

Dr. Jorge Durigan

CRM 121.245 TEOT 11.585

Especialista em Cirurgia do Trauma Ortopédico, Reconstrução e Regeneração óssea

Assistente do Grupo de Trauma Ortopédico da Santa Casa de São Paulo

Membro da Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico

Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia

Formado pela Faculdade de Medicina de Marília

Dr. Lucas Moysés Pedro

CRM 141.053 TEOT 14.321

Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia

MBA em Administração Hospitalar pela Faculdade Getúlio Vargas - SP​

Formado pela Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo

Agende uma consulta.

Leia também:

Busca por assunto
Busca por tema