Como aproveitar as pedaladas sem lesões

O ciclismo tem sido uma das atividades mais escolhidas pelas pessoas na hora de se exercitar. Permite grande queima calórica, promove o condicionamento cardiorrespiratório e o aumento da força e resistência muscular.



Por ser um esporte de baixo impacto, as lesões causadas pelo próprio movimento das pedaladas são relativamente raras, quando comparadas a esportes como corrida e futebol. Só sprints muito fortes podem provocam sobrecarga expressiva nas articulações a ponto de ocasionar um problema. Assim, as lesões no ciclismo estão ligadas principalmente a mau ajuste da bike, excesso de treino e acidentes.


É bastante comum entre ciclistas a Tendinite patelar, um processo inflamatório do tendão patelar, fundamental no movimento de flexão e extensão do joelho. É geralmente causada quando o selim está muito baixo ou muito avançado no trilho, sobrecarregando os músculos do quadríceps. Também pode ocorrer se a marcha está pesada demais. Para evitar o problema, é necessário posicionar o selim de modo que joelhos não se estendam completamente e o que o ângulo não passe dos 75 graus.


Já a Tendinite de Aquiles é o processo inflamatório do tendão calcâneo, que liga a musculatura da panturrilha ao calcanhar, responsável por movimentar os pés para baixo. Para evitar esta lesão, assegure-se de que o sistema de fixação no pedal permite a flexão dorsal do pé (dedo do pé apontando para cima), o que ajuda a aliviar a tensão sobre o tendão durante trechos mais longos.


Ciclistas que fazem longos percursos podem apresentar formigamento nos dedos, especialmente no dedo anelar e dedo mínimo, quadro conhecido como Neurite do ciclista. Isto ocorre porque o nervo ulnar fica exposto à compressão ao nível do punho. É importante alterar a posição da mão apoiada sobre o guidão para evitar a compressão crônica.


Outro problema comum é a Lombalgia, dor na região lombar provocada pelo desequilíbrio muscular ou má postura. O ciclismo exige não só um bom preparo das pernas, mas também da musculatura responsável por manter o tronco numa posição ereta sobre o selim. Para prevenir, é fundamental realizar exercícios para fortalecimento da musculatura lombar, dorsal e do abdômen, assim como alongamentos.


As Fraturas nos Membros Superiores são comuns em acidentes com bikes. Para proteger o corpo em uma queda, é instintivo estender os braços em direção ao chão, o que faz com que os ossos dos membros superiores absorvam a força do impacto, provocando as fraturas. Lembre-se de utilizar equipamentos de segurança, tais como joelheira, cotoveleira e capacete, e seguir as regras de trânsito, pedalando de forma atenta e preventiva.


Em caso de qualquer dor, que apareça durante ou após o treino com a bike, é importante procurar o auxílio de um ortopedista. Na Ortopedia Durigan, contamos com especialistas nas diferentes áreas da ortopedia, que podem realizar o diagnóstico e indicar o melhor tratamento para cada caso, para que você possa aproveitar todos os benefícios do ciclismo, sem lesões.


Dr. Jorge Rafael Durigan

CRM 121.245 TEOT 11.585

Especialista em Cirurgia do Trauma Ortopédico, Reconstrução e Regeneração óssea

Assistente do Grupo de Trauma Ortopédico da Santa Casa de São Paulo

Membro da Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico

Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia

Formado pela Faculdade de Medicina de Marília

Agende uma consulta

Leia também:

Busca por assunto
Busca por tema