O que você deve saber sobre curativos após uma cirurgia

Para realizar um tratamento cirúrgico, necessariamente são feitas incisões no corpo do paciente, sejam elas pequenas (no caso de cirurgias minimamente invasivas) ou grandes (no caso de cirurgias convencionais ou abertas). A cicatrização adequada destes cortes começa com a boa técnica de sutura do médico cirurgião.


A importância de uma boa sutura


De fato, a sutura é um momento muito importante em uma cirurgia. Ao aproximar as bordas, ela ajuda a fechar a incisão mais rapidamente, evitando que seja uma porta aberta para a entrada de bactérias. Os pontos não podem ficar frouxos nem muito apertados. Se ficarem frouxos, não cumprirão a função de unir as bordas. Se ficarem muito apertados, o fio estrangula os vasos, impedindo a passagem do sangue e retardando a cicatrização.

Além da precisão na tensão do ponto, o jeito de suturar não é sempre o mesmo. Como o corpo humano é formado por tecidos de diferentes características, podendo ser frágeis, resistentes ou elásticos, existe uma agulha, um fio, um ponto e um arremate mais adequado para cada parte.


A habilidade de sutura do cirurgião, iniciada ainda na faculdade de Medicina e aprimorada com os anos de experiência cirúrgica, é fundamental para a cicatrização adequada. Contudo, o resultado de uma cirurgia não está garantido no momento da alta médica. O cuidado com os curativos, a partir do momento que a pessoa deixa o hospital, e principalmente nas primeiras semanas de recuperação, é muito importante para que o processo de cicatrização aconteça na forma e no tempo corretos.

A importância do cuidado com os curativos


É importante seguir todas as recomendações dadas pelo cirurgião sobre o uso adequado de curativos e cuidados com as regiões dos pontos. O médico deve orientar o paciente a respeito de:


  • Prescrição de medicamentos

  • Posição adequada do membro

  • Realização de atividades diárias, como andar, dormir ou tomar banho

  • Troca do curativo: deve ser feita em casa ou no consultório médico e com que frequência

  • Limpeza da cicatriz cirúrgica com antisséptico e proteção com gaze e micropore

  • Em caso de dor ou presença de secreção na incisão cirúrgica, o que fazer

  • Retirada dos pontos

  • Retorno às atividades diárias e às atividades físicas


Tire todas as suas dúvidas, para ter uma recuperação tranquila. E tenha a certeza de que o médico cirurgião estará disponível no período pós-operatório quando você mais precisar.


Cuidar faz parte do tratamento.


Dra. Clarissa Pereira Ianoni Durigan

Ortopedida CRM 131.297 TEOT 12.449

Médica Especialista em Microcirurgia e Cirurgia de mão

Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia

Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão

Formada pela Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo

Agende uma consulta

Leia também:

Busca por assunto
Busca por tema